Lazer nos rios urbanos da Tríplice Fronteira: transformações, contradições e significados

Autores

  • Sandra Akemi Narita Universidade Federal de Minas Gerais
  • Christiane Luce Gomes Universidade Federal de Minas Gerais

DOI:

https://doi.org/10.7784/rbtur.v10i3.926

Palavras-chave:

Lazer. Cidade. Meio ambiente. Turismo. Tríplice Fronteira

Resumo

A discussão sobre os rios urbanos, na sua interface com o lazer, foi o tema desta pesquisa, com foco na cidade brasileira de Foz do Iguaçu – localizada na Tríplice Fronteira que reúne, ainda, Puerto Iguazú (Argentina) e Ciudad del Este (Paraguai). O objetivo geral foi identificar e discutir as apropriações sociais e vivências de lazer realizadas nos rios urbanos Paraná e Iguaçu, e suas margens. Procurou-se entender suas transformações e contradições e, ainda, de que maneira os moradores significam esses ambientes fluviais. A metodologia desta pesquisa qualitativa contou com estudo bibliográfico, observações e entrevistas com 23 moradores de Foz do Iguaçu. Nesse trabalho, verificou-se que as apropriações e vivências de lazer tornaram-se pontuais à medida que as mudanças urbanísticas e no meio natural praticamente desprezaram um sentido integrativo entre a cidade e o ambiente fluvial. Restam, no entanto, nos rios e nas suas margens, práticas como pesca por lazer e esportes de aventura, que imprimem múltiplos significados, por meio de vivências lúdicas, contemplativas, espirituais e interativas com as águas. Houve, no município, uma opção pelo olhar privilegiado voltado ao turista, fato que impacta diretamente nos espaços públicos e democráticos de lazer, para os moradores, como os localizados nos rios e suas margens.

Biografia do Autor

Sandra Akemi Narita, Universidade Federal de Minas Gerais

Mestranda em Estudos do Lazer na Universidade Federal de Minas Gerais. Graduada em Comunicação pela Universidade Federal da Bahia. Jornalista da Universidade Federal da Integração Latino-Americana (UNILA).

Christiane Luce Gomes, Universidade Federal de Minas Gerais

Doutora em Educação pela UFMG, com pós-doutorado em Ciências Políticas e Sociais pela Universidade Nacional de Cuyo, Mendoza/Argentina. Docente do Programa de Pós-graduação Interdisciplinar em Estudos do Lazer da UFMG.

Publicado

2016-08-27