Ensaio metodológico de manejo turístico em áreas indígenas

Autores

  • Eduardo Abdo Yázigi Universidade de São Paulo (USP), São Paulo, Brasil.

DOI:

https://doi.org/10.7784/rbtur.v1i2.89

Palavras-chave:

Áreas indígenas. Turismo. Plano de manejo. Brasil.

Resumo

O presente artigo visa enriquecer a bibliografia sobre o turismo indígena. Certamente, existe uma indizível quantidade de estudos antropológicos e de outras ciências humanas, mas praticamente nada quanto ao manejo do espaço visando esse tipo de desenvolvimento. O tema é assaz polêmico em razão de alguns intelectuais preferirem resguardar os índios desse padrão de contacto. Em contrapartida, muitas comunidades indígenas já abriram suas portas ao turismo, mas sem dominar o “savoir-faire” receptivo. Mais ainda, muitas delas estabeleceram Cartas em convenção, expressando tal desejo econômico. Ora, na medida em que sua experiência é muito fraca nesse campo, o presente artigo-ensaio representa uma aproximação no interesse deles. Para tanto, foi antes preciso definir os termos de manejo de um parque nacional para, em seguida, pensar em sua adaptação às superfícies tribais e às conveniências do turista. Isso ainda se justifica em função de existirem muitas comunidades situadas no interior de parques nacionais – donde, em alguns casos, a possibilidade de reunir ambos os núcleos de turistas num só lugar.

Biografia do Autor

Eduardo Abdo Yázigi, Universidade de São Paulo (USP), São Paulo, Brasil.

Possui graduação em História pela Universidade de São Paulo (1966) , mestrado em Planejamento Urbano pela Universidade de Paris (1969) , doutorado em Planejamento Urbano e Regional pela Universidade de Paris (1972) e pós-doutorado pela Universidade de São Paulo (1996) . Atualmente é Professor Livre Docente da Universidade de São Paulo. Tem experiência na área de Turismo. Atuando principalmente nos seguintes temas: Amazonia, Arquitetura, Geografia Humana, Urbanismo.
CV Lattes: http://lattes.cnpq.br/3606127474730178

Downloads

Publicado

2007-12-01

Edição

Seção

Artigos