Turismo y Patrimonio. Otredad e identidad

Autores

  • Tania Siedlecki Huerta Grupo de Amigos del Barrio Histórico de Colonia del Sacramento - GADBHI, Uruguay

DOI:

https://doi.org/10.7784/rbtur.v1i1.81

Palavras-chave:

Patrimônio. Turismo. Alteridade. Identidade. Museus.

Resumo

A proposta do artículo é analisar a metamorfose que pode ser observada nos museus na atualidade para propiciar uma melhor intereção com as comunidades locais e com os turistas. O museu passou a atender uma sociedade de massas onde o Turismo é um fato irreversível. Ontem, suas funções eram a de conservar e pesquisar; hoje promovem a difusão e a divulgação de manifestações representativas da multiculturalidade, chamando para si papéis comunicadores, educativos e lúdicos. O museu é a instituição que melhor reflete o valor triplo do Patrimônio: o formal que tem a ver com a estética, o simbólico significativo que tem a ver com as identidades e o de uso, que é o que mais tem a ver com o Turismo. É o olhar do outro em nós que nos leva à construção social do conceito de Patrimônio. Como fazer para que o museu gere um espaço de apropriação, reflexão e fruição e que as histórias que conta sejam compreendidas -nos seus interrelacionamentos a na sua heterogeneidade- por todos os visitantes e não apenas pelos privilegiados no campo intelectual e cultural?

Biografia do Autor

Tania Siedlecki Huerta, Grupo de Amigos del Barrio Histórico de Colonia del Sacramento - GADBHI, Uruguay

Directora del Grupo de Amigos del Barrio Histórico de Colonia del Sacramento - GADBHI. Técnica Universitaria de Turismo egresada de la Universidad de la República, Uruguay.

Publicado

2007-09-01

Edição

Seção

Artigos