O DESENVOLVIMENTO DA VITIVINICULTURA E AS POSSIBILIDADES DE IMPLANTAÇÃO DE ROTEIROS ENOTURÍSTICOS NA REGIÃO DE SÃO JOAQUIM (SC, BRASIL)

Autores

  • Flavia Baratieri Losso Instituto Federal de Santa Catarina - IFSC
  • Raquel Maria Fontes do Amaral Pereira Universidade do Vale de Itajaí - UNIVALI.

DOI:

https://doi.org/10.7784/rbtur.v6i2.503

Palavras-chave:

Região de São Joaquim, Vinhos de Altitude, Roteiros Enoturísticos.

Resumo

Partindo da análise das origens e desenvolvimento da vitivinicultura na região de São Joaquim (SC), o presente artigo propõe roteiros enoturísticos para uma área da Serra Catarinense já reconhecida por sua experiência com o segmento de turismo no espaço rural, com base em seus recursos paisagísticos e climáticos. Visando a consecução desses objetivos são enfocados a introdução e o desenvolvimento da produção de vinhos finos, bem como da atividade turística na região. Apesar de a investigação ter como foco central os municípios de Bom Retiro, São Joaquim, Urubici e Urupema, onde se encontram as empresas vitivinícolas com vinhos lançados no mercado desde 2004, a área de abrangência da pesquisa inclui também os municípios de Bom Jardim da Serra e Lages, em razão do seu significado para o incremento de atividades ligadas ao turismo. Como base teórica fundamental é utilizada a categoria de formação sócio-espacial aliada à ideia de combinações geográficas que, na análise do espaço geográfico, considera o modo como se combinam, ao longo do tempo, os elementos físicos, biológicos e humanos. O interesse pela vitivinicultura de altitude, suas origens, evolução e panorama atual em Santa Catarina, decorre do entendimento de que essa realidade apresenta-se como um novo potencial a ser explorado pelo turismo, tendo em vista as características paisagísticas singulares das áreas produtoras, os novos parâmetros de articulação dos recursos disponíveis e as estratégias de competitividade que tem afetado o mercado global e nacional de vinhos. Assim, pois, o cultivo da uva e a produção de vinhos na região de São Joaquim representam uma alternativa para o incremento da oferta turística regional, a partir da definição e implantação de roteiros para a prática do enoturismo.

Biografia do Autor

Flavia Baratieri Losso, Instituto Federal de Santa Catarina - IFSC

Atua como docente da área de Turismo, Hospitalidade e Lazer.

Raquel Maria Fontes do Amaral Pereira, Universidade do Vale de Itajaí - UNIVALI.

Atua como docente no Programa de Mestrado em Turismo e Hotelaria da UNIVALI

Downloads

Publicado

2012-09-10

Edição

Seção

Artigos