ESPAÇOS DE RESERVA DO CAPITAL NA ORLA OESTE DE FORTALEZA: DEMANDAS PARA LAZER E TURISMO

Autores

  • Luzia Neide Coriolano UECE
  • Karlos Markes Parente UECE

DOI:

https://doi.org/10.7784/rbtur.v5i1.345

Palavras-chave:

Atividades Turístico-Recreativas, Estudos Socials do Turismo. Política Turística

Resumo

Esta pesquisa investiga as transformações de uso do solo urbano de Fortaleza, especificamente da Orla Oeste para lazer, turismo e políticas de gestão de elementos produtores do espaço, bem como os conflitos de interesses e contradições de esferas públicas e privadas com relação às políticas territoriais. Por meio desses conflitos, analisam-se os modos de apropriação da Orla Oeste, espaço de reserva do capital, em contraponto à Orla Leste, que se caracteriza como espaço de turismo globalizado e, visando à modernização tipicamente capitalista, confere grandes transformações à paisagem urbana. Examina-se criticamente o avanço da especulação imobiliária sobre esse espaço de reserva da cidade por meio de enclaves socioespaciais. Para tanto, realidades socioeconômicas do Resort Marina Park Hotel, considerado nessa pesquisa como enclave de riqueza em área de miséria, e do Arraial Moura Brasil, marginalizado e historicamente conhecido como zona de prostituição, são confrontadas. Pelas políticas públicas, privadas e alternativas de lazer e turismo na produção do espaço, avaliam-se as demandas de espaços de lazer e cultura, sobretudo, de citadinos

Biografia do Autor

Luzia Neide Coriolano, UECE

Doutora em Geografia.

Coordenadora do Laboratório de Estudos do Território e Turismo - NETTUR, Universidade Estaduao do Ceará (UECE)

Karlos Markes Parente, UECE

Bolsista do CNPq, pesquisador do Laboratório de Estudos do Território e do Turismo – NETTUR, Universidade Estadual do Ceara (UECE).

Downloads

Publicado

2011-05-26

Edição

Seção

Artigos