O Imaginário da Carta de Caminha e sua Apropriação pelo Turismo

Autores

  • Isabel Maria de Jesus Pacheco Universidade Estadual de Santa Cruz

DOI:

https://doi.org/10.7784/rbtur.v4i1.318

Palavras-chave:

Turismo. Imaginario. Carta de Caminha. Propaganda.

Resumo

A presente pesquisa parte da hipótese de que o imaginário na Carta de Caminha interfere hoje na mentalidade e identidade cultural dos grupos locais da Bahia e, em especial, é utilizado de forma hegemônica pelas propagandas turísticas realizadas na Costa do Descobrimento. Estas propagandas não consideram a diversidade das visões dos grupos, suas diferenças e conflitos sociais, suas lutas por melhores condições de vida, nem a expropriação histórica sofrida pelos mesmos.

Biografia do Autor

Isabel Maria de Jesus Pacheco, Universidade Estadual de Santa Cruz

Mestre em Cultura e Turismo pela Universidade Estadual de Santa Cruz e Universidade Federal da Bahia; Especialista em História do Brasil pela Universidade Estadual de Feira de Santana e em História Regional pela Universidade Católica de Salvador; Graduada em História pela Universidade Federal da Paraíba. Professora do curso de graduação em História na Universidade Estadual de Santa Cruz (Bahia, Brasil).

Downloads

Publicado

2010-08-07

Edição

Seção

Artigos