As leis da hospitalidade

Autores

DOI:

https://doi.org/10.7784/rbtur.v15i2.2112

Palavras-chave:

Hospitalidade, Hospitabilidade, Leis não escritas, Turismo.

Resumo

Na sociedade de mobilidade crescente, que vem substituindo a sociedade à dominante sedentária, o contato com estranhos/estrangeiros/desconhecidos aumenta velozmente, alterando instituições basilares da sociedade como casa, vizinhança, família, trabalho.  A garantia de ser bem recebido em todos os lugares para onde vamos torna-se uma necessidade. A urbanidade, o tratamento polido, mas impessoal não é mais suficiente. Crescem as reivindicações por uma hospitalidade mais carregada de calor humano. Mesmo no comércio, termos como customização, fidelização são marcas da aspiração de pessoalidade no encontro.  A discussão desses temas é o contexto para o propósito deste artigo de, com base nas reflexões de Jacques Derrida, Marcel Mauss, Julian Pitt-Rivers e Anne Gotman, desvelar as quatro leis básicas da hospitalidade: a incondicionalidade, a reciprocidade, a assimetria e a compensação. Adicionalmente, pretende levantar outras questões que surgem à margem da atual discussão, em especial o caso do turismo.

Biografia do Autor

Luiz Octávio de Lima Camargo, Universidade de São Paulo (USP), São Paulo, SP, Brasil.

Programa de Graduação em Turismo (EACH-USP).

Referências

Augé, Marc (2010). Por uma antropologia da mobilidade. Ed.UNESP

Benveniste, E. (1975). O vocabulário das instituições indo-europeias. Economia, parentesco, sociedade. Campinas: UNICAMP.

Bessone, Magali (2015). Le vocabulaire de l’hospitalité est-il républicain? Ethique Publique, 17(1), s/p https://doi.org/10.4000/ethiquepublique.1745

Borradori, Giovana (2004). Filosofia em tempo de terror: diálogos com Habermas e Derrida. Zahar.

Bourdieu, Pierre (1996). Razões práticas. Sobre a teoria da ação. Papirus, 1996.

Buber, Martin (1979). Eu e Tu. Cortez & Moraes, 1979

Camargo, Luiz, O.L. (2015). Os interstícios da hospitalidade. Revista Hospitalidade. 12 (especial), p. 48-69.

Camargo, Luiz, O.L. (2019). Hospitalidade, turismo e lazer. RBTUR, 13 (3), p. 1-13 https://doi.org/10.7784/rbtur.v13i3.1749

Derrida, Jacques. (1999) Manifeste pour l´hospitalité. Grigny: Paroles d´Aube.

Derrida, Jacques. (1997) Il n´y a pas de culture ni de lien social sans um principe d´hospitalité. Le Monde, mardi 2 décembre 1997(Horizons-entretiens).

Dumazedier, Joffre (1995). A revolução cultural do tempo livre. Studio Nobel, 1995

Éliade, Mircéa (2010). História das crenças e das ideias religiosas: Volume 1: Da Idade da Pedra aos mistérios de Elêusis. Zahar.

Elias, Norbert (1994). O processo civilizador. 2 vols. Zahar

Engels, Friedrich (2002). A origem da família, da propriedade privada e do Estado. Bertrand Brasil.

Dumazedier, Joffre. A revolução cultural do tempo livre. Studio Nobel, 1995

Friedman. Georges (1972). O trabalho em migalhas. Perspectiva

Godbout, Jacques (1997). Récevoir c´est donner. Communications, 65, p. 35-48. https://doi.org/10.3406/comm.1997.1985

Gotman, Anne (2008). O turismo e a encenação da hospitalidade. In: Bueno e Camargo. Cultura e consumo: estilos de vida na contemporaneidade. Senac, p. 115-134

Gotman, Anne. (2009) O Comércio da Hospitalidade é Possível? Revista Hospitalidade, v. 6 (2), p. 3-27

Gotman, Anne. (2011) Les perils de l´asymétrie. La mondialisation et la fin de l’étranger. Collège des Études juives de l’Alliance universelle, p.15-36

Guattari, Felix (1991). As três ecologias. Papirus.

Guimarães, Gilberto A. (2019) Hospitabilidade: avaliação das características e motivações que determinam a capacidade de ser hospitaleiro. Tese (Doutorado) - Universidade Anhembi Morumbi - Programa de Pós-Graduação em Hospitalidade.

Homero (2014). Odisséia. Cosac Naify. https://doi.org/10.1515/9783050095530

Jabès, Edmond (1991). Le livre de l´hospitalité. Gallimard.

Kant, Immanuel (1995). Fundamentação da metafísica dos costumes. Ed.70

Klossowski, Pierre (1995). Les lois de l´hospitalité. Galimard

Krippendorf, Jost (1989). Sociologia do turismo. Civilização Brasileira

Jabès, Edmond (1991). Le livre de l´hospitalité. Gallimard.

Lafargue, Paul (2000). O direito à preguiça. São Paulo: Hucitec

Lanselle, Rainier (2011). A hospitalidade como o impensado. In: Montandon, A. (Org.) O livro da hospitalidade: Acolhida do Estrangeiro na História e nas Culturas. Senac, p. 221-245.

Lashley, Conrad (2015). Hospitalidade e hospitabilidade. Revista Hospitalidade, 12 (especial), p. 70-92.

Lauand, Jean (2019). “Obrigado”,“Perdoe-me”: a Filosofia de S. Tomás de Aquino Subjacente à nossa Linguagem do Dia-a-Dia. Revista Hospitalidade,16(2), p. 138-148 https://doi.org/10.21714/2179-9164.2019.v16n2.007

Le Bras, Hervé (2005). La démographie. Odile Jacob.

Leroi-gourhan, André (1964). O gesto e a palavra. 2 v. Ed.70.

Levinas, Emmanuel (1996). Autrement qu'être: au-delà de l'essence. Le livre de poche

Lugosi, Peter (2008). Hospitality spaces, hospitable moments: consumer encounters and affective experiences in commercial settings. Journal of Foodservice, 19, p. 139–149 https://doi.org/10.1111/j.1745-4506.2008.00092.x

Massignon, Louis (1987). L´hospitalité sacrée. Paris: Nouvelle cité

Mauss, Marcel (1974). Ensaio sobre a Dádiva - forma e razão da troca nas sociedades arcaicas. In: Sociologia e Antropologia. EPU/Edusp.

Nietzsche, Friedrich (1981). Assim falou Zaratustra. Civilização Brasileira

Perez, Daniel O. (2007). Os significados dos conceitos de hospitalidade em Kant e a problemática do estrangeiro. Konvergencias: filosofia y cultura en dialogo, 4 (15), p.23-34

Pitt-rivers, Julian (2012). The law of hospitality. HAU: Journal of Ethnographic Theory. 2(1), p. 501-517. https://doi.org/10.14318/hau2.1.022

Sanselle, Rainier (2011). A hospitalidade como o impensado. In: Montandon (org). O livro da hospitalidade. Senac, 2011, p.221-245

Schérer, René (1993). Zeus hospitalier: l’éloge de l’hospitalité. Armand Colin

Simmel,Georg. A metrópole e a vida mental. In: VELHO, Otávio (org.). O fenômeno urbano. Zahar Editores.

Simmel,Georg. 2004. Fidelidade e Gratidão e Outros Textos. Relógio D’Água.

Smith, V. (1977). Hosts and Guests: The Anthropology of Tourism. Oxford Basil Blackwell.

Urry, John. (2001) O olhar do turista. SESC/Studio Nobel

Publicado

2021-03-15

Edição

Seção

Artigos